troca luxo 2 - We love 2nd Hand Shopping! Um papo com a founder do Troca de Luxo

 

 

troca luxo 2 - We love 2nd Hand Shopping! Um papo com a founder do Troca de Luxo

A bolsinha Chloe mais charmosa no office do Troca de Luxo

Fui conhecer o escritório do Troca de Luxo, uma loja de bolsas 2nd hand. A Juliana Lucki, founder do business, foi uma das pioneiras desse modelo de negócio, que era cheio de preconceitos e que, hoje, está virando um dos maiores mercados do mundo. Eu adoro comprar 2nd hand. Sempre comprei e acho a compra mais inteligente que você pode fazer, ainda mais de peças eternas. Enjoy!

  1. Como surgiu a ideia de empreender no mercado de 2nd hand?

Sou de origem Francesa e na Europa este conceito é muito conhecido e aplicado. Não somente na Europa mas nos Estados Unidos igualmente. A questão da sustentabilidade, do consumo consciente, sempre foi muito significativa. Como na época não havia ninguém que praticasse este tipo de trabalho, me aventurei e hoje o mercado está muito aquecido!

  1. Há alguns anos atrás o preconceito em comprar uma bolsa 2nd hand era relativamente grande. Como vocês lidam com isso?

Quando comecei, havia muito preconceito com peça usada. Nunca vou me esquecer de um evento do qual participei em um clube da Alta Sociedade paulistana, uma senhora pegou em suas mãos uma bolsa da Prada linda e quando falei que estava em perfeito estado, com pouco uso, a senhora largou imediatamente a peça! Hoje o mercado mudou muito! As pessoas amam!

troca luxo 4 - We love 2nd Hand Shopping! Um papo com a founder do Troca de Luxo

Color-coordinated wall of bags

  1. Hoje o cenário é muito diferente. Empresas enormes americanas do mercado de 2nd hand de luxo como a The Real Real, estão recebendo aportes milionários de investidores de peso. Você sente que o brasileiro já está mais confortável para comprar e vender bolsas, roupas, sapatos, etc.?

Comprar uma peça de 2nd hand era sinônimo de “velho e empoeirado” e/ou “não poder comprar a peça nova”. Atualmente, com a constante divulgação de matérias sobre economia circular e consumo de luxo consciente, o consumidor já entende que se trata de peças em perfeito estado, com valor bastante vantajoso e gosta da ideia de vender as peças que não usa. É uma cultura que já se faz presente para muitos e novos clientes surgem diariamente trazidos pela curiosidade deste movimento. Não se trata de qual é o seu poder de compra, mas sim de satisfazer o desejo por um produto de luxo de uma forma sustentável.

troca luxo 1 - We love 2nd Hand Shopping! Um papo com a founder do Troca de Luxo

Hermès Mini Kelly Bag

  1. Como funciona o Troca de Luxo? As peças são todas consignadas? Ou vocês as compram?

Todas as nossas peças são consignadas. Elas chegam, enviamos um relatório de recebimento para a fornecedora e sugerimos o valor da venda de sua peça – tendo como referência o mercado internacional. Após a confirmação e acordado o valor de venda, pedimos um prazo de 60 dias de fidelidade.

  1. Quais são as marcas que as suas clientes mais compram e vendem?

Aqui na TL seguimos o movimento da moda, oferecendo aos clientes as peças mais desejadas, mas é claro que marcas como Chanel, Hermès, Saint Laurent e Gucci têm presença garantida! Inclusive as peças vintages são sempre um sucesso.

troca luxo 3 - We love 2nd Hand Shopping! Um papo com a founder do Troca de Luxo

Vintage Chanel

  1. O mercado de aluguel de bens de consumo de luxo está crescendo muito. Vocês têm planos de alugar os produtos enquanto eles não são vendidos?

Por enquanto, a locação não faz parte dos nossos projetos. Até porque as peças poderiam ser muito danificadas e perder o seu valor.

  1. Qual você acha que é o seu maior desafio como empreendedora no mercado brasileiro?

Sem dúvida a carga tributária e a burocracia no Brasil não facilitam para o empreendedor. Em nosso mercado, ainda sentimos resistência por parte das marcas, que “olham” para nós como concorrência. “Nós acreditamos e confiamos que o 2nd hand vem para ajudar e apoiar o combate a pirataria. Temos um papel importantíssimo e jogamos no mesmo time das grandes marcas”.

by Rosa Zaborowsky

Editor & Founder of Lolla.

0 Comments

POST A COMMENT