68095710 5FF4 4E52 975B CE5D1675C287 - Things You Should Know: #TDOV Dia da Visibilidade Transgênero
@megemikoart

O Dia Internacional da Visibilidade Transgênero foi criado pela ativista Rachel Crandall, em 2009, com o intuito de buscar reconhecimento da própria comunidade LGBTQIA +. Sendo celebrado no dia 31 de março, o #TDOV (Transgender Day of Visibility) quer aumentar a conscientização da sociedade em relação aos transgêneros. 

 

A transgeneridade ainda é uma questão de grande desconhecimento no Brasil e, como consequência, a marginalidade social de pessoas trans é inevitável: a baixa expectativa de vida, as pequenas taxas de pessoas empregadas em trabalho formal e a falta de uma vida digna demonstram as nuances estampadas na discriminação com indivíduos que não são cisgêneros – isto é, aqueles que não se identificam com o sexo biológico.

 

Do not confuse! 

Um erro comum é confundir os termos transgênero, travesti e transexual e, com isso, aumentar o preconceito e a desinformação acerca dos 3 T ́ s da comunidade LGBTQIA +.

Por isso, aqui está uma breve explicação sobre cada um deles

 

Transgênero

Não se identifica com o seu gênero biológico. Ou seja, não se sente bem no corpo em que está. Nesse caso, é mais uma questão cultural e social, isto é, mais um conflito de identidade de gênero, do que de orientação sexual, como muitos pensam. Além disso, o transgênero espera ser reconhecido pelo sexo oposto ao que ele nasceu. 

Engloba indivíduos transexuais e travestis. 

Transexual

Aquele que não consegue mais lidar de maneira alguma com seu sexo biológico, e recorre ao processo cirúrgico para a mudança de sexo. Ou seja, apenas passando por uma modificação, a pessoa se sentirá identificada. 

Travesti

Pessoa que não se identifica nem como mulher, nem homem. Isto é, não se sente integralmente pertencente a nenhum dos sexos. 

Just to remind: orientação sexual não tem relação com identidade de gênero! Por exemplo: uma mulher cisgênera (que se identifica com seu sexo biológico) pode ser lésbica, hétero ou assexuada (sua orientação sexual). 

Pronome

Atualmente há uma grande discussão em pauta sobre pronomes. A questão que levantamos não é se é certo ou errado, se irá ser inserido na língua ou não, porém o fato é que deve ser respeitado. Se uma pessoa não-binária (que não se identifica nem com o sexo feminino, nem com o masculino) quer ser reconhecida pelo pronome neutro, why not? Não interfere em nada nossas vidas, mas tenha certeza que muda muito o cotidiano e a vida dela. 

Um exemplo disso é a atriz Cynthia Nixon, a Miranda Hobbes de Sex and The City, que fez um post destinado ao seu filho trans em seu Instagram, em 2018. Essa ação gerou mais visibilidade para a causa transgênera e a melhor parte: ela demonstrou apoio ao seu filho – o que parece um simples ato, mas faz muita diferença no processo de aceitação intrapessoal.  

“Estou muito orgulhosa do meu filho Samuel Joseph Mozes (chamado Seph) que se formou na faculdade este mês. Eu saúdo ele e todos os outros que marcaram o #TransDayofAction de hoje. #TDOA”. 

That’s what we call support! 

 

 

What should I do now?

É muito importante apoiar a causa. Muito mais do que apenas se informar, por mais que já seja um bom começo. Assim, seguir nas redes sociais, consumir conteúdo, ler obras e contratar pessoas trans são pequenas ações que contribuem muito para o incentivo de uma sociedade com mais equidade.

Aqui estão 3 modelos transgêneros que estão inovando o mundo da moda para você dar um follow no Instagram

Valentina Sampaio

Cearense, Valentina foi capa da L’Officiel Brasil, desfilou pela Victoria’s Secret, sendo a primeira modelo trans a conseguir esse marco. 

 

 

Jari Jones

Jari Jones, uma modelo negra trans, vem ganhando espaço na indústria da moda, ocupada majoritariamente por brancas – e cis. Ela comentou em um de seus posts de maior sucesso: “It has been such an honor and pleasure to sit in my most authentic self and present imagery of a body that far to often has been demonised, harassed , made to feel ugly and unworthy and even killed”

 

 

Hunter Schafer

Muito conhecida por interpretar a Jules, de Euphoria, Hunter também é modelo e já desfilou para Dior, Rick Owens e Miu Miu.

 

LEIA TAMBÉM:
Lolla Social: Conheça a ONG Saúde da Rua
LOLLA SOCIAL: O Novo Projeto do Lolla para promover a Cultura da Doação no Brasil

 

 

by Giullia Capaldi

Estudante de jornalismo, técnica em multimídia e entusiasta de uma light life.

0 Comments

POST A COMMENT