Quando me Rendi a Zara Online, por uma Zara Aficcionada.

6873005712 2 4 1 scaled - Quando me Rendi a Zara Online, por uma Zara Aficcionada.

E lá se foi 1 ano desde o meu primeiro post aqui no Lolla… Lembro como se fosse ontem, a Zara online tinha acabado de abrir aqui no Brasil e, sendo uma Zara aficcionada, falei sobre como ainda preferia a experiência da compra física. Aquela paixão de ver uma peça na arara, o barulhinho do cartão aprovado no caixa e (muitas vezes), já sair da loja com a roupa no corpo. Vejam, não estou dizendo que essa magia toda foi embora, na verdade, ela continua, mas foi conversando com a Rosa em uma dessas noites de quarentena que me toquei: a maioria das minhas compras ao longo dos últimos meses foram feitas pelo site. Pelo aplicativo, para ser mais exata. Pois bem, assim como as estações, eu também mudei rs.

Nossa Bia, mas o que te fez mudar de opinião? Bom, para começar, e algo que realmente acredito ter contribuído para me tornar uma compradora online assídua foi o fato de eu já conhecer bem a modelagem e saber o que funciona ou não para mim. Raramente tive problemas com numeração, justamente por isso. Já estou acostumada com os comprimentos, shapes e caimento das peças, o que me ajuda muito a fazer uma compra certeira!

Window shopping como terapia

Outro ponto que amo e mencionei lá em cima é a praticidade do aplicativo. Não me julguem, tá? Mas confesso que entro nele todo santo dia rs. É meu momento relax. Amo ficar olhando o que entrou de novo e montar meu carrinho dos sonhos. Isso me acalma tanto quanto meditar. Por mais que eu não compre tudo que seleciono, gosto de deixar separado para pensar sobre. Minha tática é: caso seja uma peça única, que foi amor à primeira vista e eu esteja convicta de que não poderei viver sem ela, compro na hora. Caso seja uma peça que captou meus olhos, mas não fez meu coração palpitar de cara, deixo-a lá no carrinho quietinha e, se por ventura ela ainda estiver lá daqui um tempo, penso que era para ser minha mesmo e efetuo a compra. Acho que dessa forma me tornei até uma compradora mais consciente, foram poucas as vezes que comprei algo no impulso e me arrependi depois.

Lembro também que falei sobre a questão de esperar até a peça chegar. De fato, ansiosa e afobada do jeito que sou, gosto de tudo para ontem. Agora, se eu dissesse que esse tempo entre passar o cartão, até o Valtécio (meu porteiro) me interfonar avisando que chegou uma encomenda para mim, torna tudo mais especial, vocês acreditariam? É como um presente para mim mesma!

(Ignorando o fato de ter que ficar encarando o presente todo mês na fatura do cartão rs).

Ah, por sinal, aloquei o app estrategicamente entre os meus apps do banco. Assim, quando for comprar algo que sei que é no impulso, já sinto uma pressão psicológica que me impede desses pecados triviais.

Pois bem, paguei minha língua? Paguei. Mas o que é uma quarentena se não um momento de reflexão, né?

Falando nisso, como andam as compras online de vocês nessa fase maluca que estamos vivendo? Me contem nos comentários!

Beatriz Zuquim

by Beatriz Zuquim

POST A COMMENT