O que você precisa saber sobre PROTETOR SOLAR

Lais Andrade
o que voce precisa saber sobre protetor solar

Vem verão, vai verão, e a pauta da proteção solar nunca sai de cena. Também, pudera: de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de pele é o tipo de câncer mais comum no Brasil, com aproximadamente 180 mil novos casos por ano. E como sabemos, o protetor solar é amplamente recomendado por especialistas para preveni-lo. Apesar disso, um levantamento realizado pelo Instituto Ipsos em 2021 identificou que, apesar de 86% dos entrevistados concordarem que usar protetor solar diariamente é necessário para prevenir o câncer de pele, apenas 37% têm o hábito presente na rotina. 

Muitas pessoas ainda evitam usar o protetor diariamente, seja por não encontrarem um produto com textura agradável, por acharem que ele deixa um aspecto “esbranquiçado” no rosto, ou mesmo por sentirem que a fórmula aumenta a oleosidade da pele. Outras ainda tem dúvidas de como utilizá-lo, que horas aplicar e se o produto é mesmo necessário to-dos os dias.

Buscando esclarecer todas as dúvidas que possam existir sobre esse hábito tão importante para a nossa saúde, resolvi consultar dois super especialistas: o Dr. Amilton Macedo, médico dermatologista que atua há mais de 28 anos com medicina preventiva em São Paulo, e a Dra. Mariana Veloso, médica que atua na área de dermatologia e medicina estética em Sorocaba.

Preparada para se tornar uma expert em proteção solar? Vamos lá!

 

Como fazer o protetor solar durar mais?

Dr. Amilton Macedo: No verão, com os dias mais quentes, o produto pode escorrer e perder toda a sua eficácia. Por isso, o correto é aplicar o protetor solar 30 minutos antes da exposição solar para ter uma maior absorção e eficácia do produto na pele. Outra dica é utilizar um spray anti-oleosidade no fim da rotina, o que ajudará a aumentar a durabilidade do protetor. Também vale prestar atenção à quantidade de produto na pele: para proteger dos efeitos danosos do sol, o ideal é aplicar 2mg/cm² de pele, o que corresponde a cerca de 40ml ou uma colher de chá do produto no rosto e no pescoço; uma colher de chá de protetor para a parte da frente do tronco e outra para a parte de trás; uma colher de chá para cada braço; uma colher de sopa para a parte da frente de cada perna e outra para a parte de trás de cada perna. E não esqueça de reaplicar o produto a cada 2 horas!

Dra. Mariana Veloso: Escolha um protetor de acordo com o seu tipo de pele, pois em meio à diversas opções e informações, o produto errado pode deixar sua pele mais oleosa ou mais ressecada, diminuindo o efeito do protetor solar. Para a pele oleosa opte por dermocosméticos oil free com textura matte, já para a pele mista opte por protetores gel-creme, que possuem rápida absorção, mas que também hidratam. Aplicar o produto com a pele limpa (sem maquiagem ou resíduos) também é algo essencial para garantir a durabilidade e eficácia, já que com a pele limpa o produto possui um maior poder de absorção. E verifique se o rótulo do protetor solar possui a sigla PPD, “Persistent Pigment Darkening” (em português: Pigmentos Persistentes de Pigmentação). Essa sigla indica o grau de proteção contra os raios UVA, os que não causam queimaduras e nem vermelhidão, mas que são os grandes responsáveis pelos danos graves e a longo prazo, como manchas, envelhecimento e até câncer de pele.

 

Qual é o protetor ideal para a pele madura? E para a pele oleosa?

Dr. Amilton Macedo: A proteção solar é importante desde cedo, pois os efeitos do sol são cumulativos. A partir dos 30 anos, podemos apostar em produtos funcionais, para complementar o tratamento da pele, como os filtros solares com ação anti sinais, que possuem ativos antioxidantes como a vitamina C e E, ajudando a proteger as fibras do colágeno. Outra opção para as peles maduras é apostar em protetores que possuem ácido hialurônico na fórmula, e que proporcionam uma hidratação mais intensa auxiliando na retenção de água pela pele. Já para as peles mais oleosas, prefira os produtos que sejam do tipo oil control e com efeito mate, pois além de hidratar e proteger, sua fórmula não potencializa a oleosidade e o brilho da pele. 

Dra. Mariana Veloso: Com o passar dos anos, a produção de colágeno na pele diminui gradativamente, deixando os sinais e linhas de expressão mais visíveis. Por isso, os cuidados com a pele devem ser redobrados. Os protetores solares mais intensos, com FPS 50 e ação anti-rugas, em creme ou gel-creme, são os mais recomendados, pois garantem proteção e uma regeneração da pele de fora para dentro. Para as peles mais oleosas além dos produtos com toque seco e cobertura opaca já recomendados, outra opção são os protetores solares em pó, já que são leves, oil-free, contam com efeito mate e são multifuncionais, controlando a oleosidade, protegendo da radiação solar e proporcionando uma pele uniforme.

 

Por que alguns protetores deixam o rosto com aspecto esbranquiçado? Existe alguma forma de evitar isso?

Dr. Amilton Macedo: Alguns protetores solares possuem em sua composição moléculas inorgânicas naturais, normalmente o dióxido de titânio e o óxido de zinco, que formam uma camada de proteção física sob a pele, como um escudo que reflete os raios solares. Essas moléculas não são absorvidas pelo organismo após a aplicação, por isso deixam o aspecto esbranquiçado sobre a pele. Esse tipo de protetor solar é ideal para crianças, pessoas alérgicas e grávidas. Uma alternativa para as pessoas que desejam evitar ou não gostam desse aspecto é a utilização de protetores solares do tipo químico, que são absorvidos pela pele.

Dra. Mariana Veloso: Os protetores solares com FPS superiores a 70 normalmente deixam esse aspecto esbranquiçado na pele, o “white cast”, isso porque são mais grossos e consistentes, por isso sempre espalhe bem o produto na pele. 

 

Como cuidar da pele que ficou vermelha após uma exposição prolongada ao sol?

Dr. Amilton Macedo: Após perceber a vermelhidão, ardência ou inchaço na pele, você pode tomar alguns cuidados para minimizar o incômodo como o uso de compressas geladas de chá de camomila, pois a erva possui propriedades calmantes e cicatrizantes que ajudam a diminuir o desconforto causado pela queimadura.  Tome banho com sabonetes suaves já que o sabonete comum pode agredir a pele, favorecendo seu ressecamento, e na hora de se enxugar, faça-o com delicadeza e com uma toalha macia. Hidrate bem a pele após o banho e diversas vezes ao dia, com cremes à base de pantenol, óleos de uva ou macadâmia, vitamina C ou Aloe Vera. Nas áreas mais afetadas e expostas, como ombros, rosto e costas, deve-se usar cremes cicatrizantes e com corticóides suaves para dar conforto imediato. A hidratação de dentro para fora também é de suma importância, por isso beba pelo menos 1 litro de água ou sucos de frutas por dia. Outro ponto importante é a alimentação: consumir alimentos que contém ácido alfa-lipóico, como arroz integral, aveia, quinoa e amaranto, por exemplo, amenizam a vermelhidão e devem fazer parte do cardápio de quem teve uma queimadura de sol.

Dra. Mariana Veloso: As queimaduras de sol são ainda mais frequentes durante o verão, por isso, para amenizar os efeitos e incômodos de uma exposição prolongada ao sol, um dos cuidados essenciais é o banho com água fria, pois alivia a dor e evita que a pele resseque. Além disso, intensifique a hidratação da pele com um hidratante à base de ureia, semente de uva ou lactato de amônio e utilize loções restauradoras que são indicadas para assaduras de bebê. Caso a vermelhidão não desapareça procure um especialista.

 

Os cabelos também precisam de proteção solar?

Dr. Amilton Macedo: Sim, o couro cabeludo e os fios também estão expostos aos efeitos do sol,  assim como o restante do nosso corpo, mas na maioria das vezes as pessoas esquecem disso. A exposição do couro cabeludo sem proteção pode desenvolver pintas e melanomas cancerígenos. Já nos fios, causa o ressecamento e aspecto de cabelos opacos. Para proteger os fios, utilize os dermocosméticos especializados que protegem a estrutura do cabelo, evitando a perda de massa, brilho e até a descoloração. Sempre utilize  produtos de acordo com o seu tipo de cabelo para mantê-los hidratados e saudáveis.

Dra. Mariana Veloso: Sim! Sem uma proteção os fios ficam ressecados, com aspecto opaco, quebradiços, com pontas duplas, carentes de nutrientes e desbotados, uma vez que a oxidação provocada pelo sol facilita a perda de pigmentação nos fios, podendo deixá-los apagados e até manchados. Por isso, os cuidados com os fios nunca são demais. No mercado já existem protetores solares próprios para os cabelos, com filtro UV e à base de ativos antioxidantes (vitamina E, óleo de girassol, ômega 6 e aloe vera), como os leave-in, que podem ser encontrados em formato de cremes ou sprays. Outra dica para proteger o couro cabeludo e os fios é apostar na utilização de acessórios como bonés e chapéus. 

 

Existe alguma forma de garantir um bronzeado saudável e duradouro sem agredir a pele?

Dr. Amilton Macedo: Não existe bronzeamento saudável. Quando o sol causa uma queimadura na pele, isso significa que o organismo está tentando se proteger de uma agressão. Mas para quem ama tomar sol, existem alguns cuidados e dicas para que isso seja feito de forma mais assertiva e minimizando os danos para a pele. Consuma alimentos ricos em betacaroteno (cenoura, espinafre, abóbora entre outros), um componente que contribui para a produção de melanina, que podem ajudar a conquistar a pele bronzeada. E nunca tome sol sem protetor solar, reaplicando o filtro a cada duas horas. Desta forma, você vai conquistar o bronzeado de forma produtiva e sem vermelhidão.

Dra. Mariana Veloso: A estimulação da melanina progressivamente é uma alternativa, no entanto, segundo o INCA não existe bronzeamento saudável. O fato é que, para a pele ficar bronzeada, significa que o organismo está tentando se defender de uma agressão do sol. Mas para quem deseja utilizar o método de estimular a produção de melanina gradualmente e progressivamente, se exponha ao sol somente nos horários adequados, antes das 10h da manhã e após às 16h0 da tarde. E claro, utilize um bom protetor solar com FPS superior a 30 e reaplique a cada 2 horas, e após tomar sol aplique um hidratante apropriado para seu tipo de pele, que ajudará a repor a água do corpo e a evitar o ressecamento da pele.

 

Posso usar um sérum antioxidante no rosto antes do protetor solar?

Dr. Amilton Macedo: Pode. O sérum antioxidante deve ser aplicado antes do uso do hidratante e do filtro solar, para que a pele possa absorver os antioxidantes, aumentando sua capacidade de defesa contra os radicais livres que podem ser gerados após a exposição solar. Dessa forma, somando forças com o protetor solar, o antioxidante não mancha a pele, pois tem capacidade de neutralizar os radicais livres, que são as moléculas que oxidam e danificam as células.

Dra. Mariana Veloso: O sérum oxidante deve ser aplicado antes do protetor solar e se o produto for a base de vitamina C,  será melhor ainda, pois usado juntos reforçam ainda mais a proteção no combate à ação dos radicais livres. Além disso, apesar de muitas pessoas ainda acreditarem que a vitamina C causa queimaduras na pele, o antioxidante na verdade ajuda na proteção aos danos da pele.

 

Preciso usar um demaquilante à noite para remover meu protetor? Ou só limpar com um cleanser já é o suficiente?

Dr. Amilton Macedo: A limpeza vai depender das características presentes em cada produto. Os filtros solares mais oleosos e com cor necessitam de uma limpeza mais completa com uso de demaquilante para remover os resíduos da pele. Já os protetores solares com texturas  mais leves podem ser removidos com um cleanser. Para finalizar é importante higienizar a pele com um sabonete neutro específico e, em seguida, tonificar e hidratar a pele.

Dra. Mariana Veloso: O protetor solar, assim como outros produtos usados na pele, pode acabar obstruindo os poros e, por isso, é preciso fazer a limpeza completa com água micelar bifásica para tirar todos os resíduos do produto.

 

Quais são seus protetores favoritos?

Dr. Amilton Macedo: Gosto dos protetores solares Oil Free, que possuem algum componente com ação antioxidante, pois enquanto o produto está te protegendo do sol, também está tratando a sua pele.

Dra. Mariana Veloso: Os meus protetores solares preferidos são: o Uv Oil Defense da Skinceuticals fator 80 que tem as opções com cor e sem cor, pois é um protetor solar físico; o Foto Ultra da Isdin que possui fator 50, 90 e 99; e o Oil Control da Neostrata com fator 70. Além deles deixarem a pele mais sequinha, são ideais para pessoas que, assim como eu, possuem acnes da mulher adulta e pele oleosa. 

LEIA TAMBÉM:
Protetor Solar FPS 50: Como Usar e Ficar BRONZEADA
APLICANDO SPF: Como Passar Protetor Solar Direito Once and For All. Com as dicas do Cirurgião Plástico Dr. Luiz Paulo Barbosa

 

Share this story

Comments Expand -
Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.