Notes on hopping

Rosa Zaborowsky

Se tem um tema recorrente em todas as minhas resoluções de ano novo, é shopping. Minha relação com as compras varia bastante e está 90% das vezes relacionada ao meu estado de espírito. São raras as compras racionais que eu fiz, a grande maioria foi impulsionada por um desejo de ser dona daquilo que não sai da minha cabeça. O que está tudo bem, já que normalmente eu compro coisas que quero muito - mas o meu problema é que eu quero muitas coisas ao mesmo tempo e estou sempre pensando na próxima. A oferta das compras online potencializam isso e meu trabalho é 80% editar o que aparece no mundo online. Não consigo curtir minhas compras, mal uma compra chega já tem outro email com um cupom brilhando na minha caixa postal da próxima da fila na minha wish list.

Eu não quero ser assim. Quero ser a pessoa que celebra ter menos coisas e fica genuinamente feliz por isso - não aquela falsa felicidade com um toque de amargura, mas a felicidade que só quem atinge suas metas conseguem sentir. Sabe aquela satisfação de mostrar para você mesmo que o controle das suas atitudes é seu e que você não vai deixar seu cérebro te comandar com o que é melhor pra ele?

Minha wish list está enorme, e acho que vai ser sempre assim. Eu preciso apenas aprender a esperar mais tempo para conquistar o que está ali e assim quem sabe ela diminui, o desejo vai sumindo até eu esquecer o que eu queria.

Uma coisa que eu já fiz bastante é um "shopping detox" - me forço a ficar um tempo sem comprar, mas essa solução é momentânea e saio do detox sedente por uma comprinha. Ou seja, nada eficiente. Eu estou em busca de soluções permamentes para desejos permanentes. Alguma dica?

xo.

rosa

Share this story

Comments Expand -
Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.