05ced369879781ee6c735fe105510913 - Notas sobre um ano acelerado e ressaca de réveillon antecipada

Esse ano foi tão acelerado, tudo aconteceu com tanta antecipação que, de repente, me vi tendo uma sensação de ressaca típica dos primeiros dias do ano, ainda antes do Natal!  O surto de comemorações e encontros de final de ano, que começou em meados de novembro, já amenizou; as lembranças e as caixinhas de fim de ano já foram devidamente entregues; até o material escolar dos meus filhos já está todo organizado.  Olho para a pilha de livros etiquetados em cima da estante e sinto uma mistura de orgulho e estranhamento: quem é essa doida que compra material do ano seguinte antes mesmo de sair de férias? 

Fiquei sabendo que não é mais tão difícil encontrar restaurantes ou espaços de eventos para a semana que antecede o Natal. É que a maioria das empresas – preocupada em não conseguir data – agenda suas celebrações para logo depois da Black Friday ou então para a primeira quinzena de dezembro.  Afinal, imagina que disparate uma festa de fim de ano no final do ano? Foi-se o tempo em que as empresas precisavam fechar o ano para saberem seus resultados. Hoje em dia, os modelos preditivos ficaram tão sofisticados e precisos, que já estamos comemorando (ou lamentando) o desempenho do ano há pelo menos um par de meses.

Falando em Black Friday, parece que o evento está começando cada vez mais cedo também. Há poucos anos, como diz o próprio nome, os descontos eram concentrados na sexta-feira posterior ao feriado de Ação de Graças americano.  Agora passamos a ter a Black Week, de modo que, nessa toada, ano que vem será promovida a Black Month. Haverá ofertas imperdíveis para todas as quinquilharias de que você nunca soube que precisava, disponíveis já a partir do finalzinho de outubro – mesma época em que as árvores de Natal começam a brotar nos shoppings.  Talvez em 2021 ou 2022 possamos providenciar os presentes do Dia das Crianças e do Dia dos Professores também pela metade do dobro. Afinal, se é para entrar na onda das datas comerciais e dos descontos aleatórios, melhor unirmos as duas pontas para que tudo possa pelo menos fazer algum sentido.

Até a natureza anda meio sem paciência de esperar seu momento! Nem bem entramos no verão e já estamos experimentando as famosas águas de março. Não que seja mera coincidência…Por mais que tenhamos a sensação de sermos máquinas de alta-performance, a verdade é que (ainda) somos seres orgânicos e integrantes dessa entidade que costumamos enxergar fora de nós, mas de que, na verdade, fazemos parte.  Uma espécie de alguns bilhões espalhados pelo planeta, trocando vibrações ansiosas com o restante do universo irá fatalmente trazer algumas transformações importantes. Mas talvez seja bom mesmo que as chuvas já estejam chegando nesta época, pois assim, quem sabe, tenhamos um janeiro ensolarado, com ares de Outono. Pois em janeiro, você sabe, né? Ou começamos a acelerar os bloquinhos de Carnaval ou jamais conseguiremos dar vazão, até final de fevereiro, a todos os grupos de samba, frevo, MPB, Jazz, afro, reggae, samba-rock, rock-samba, sertanejo, samba-funk. Para aproveitar o Carnaval, é preciso começar antes mesmo do Réveillon.

As pessoas estão cada vez mais aceleradas em suas rodinhas de rato, talvez com a ilusão de que assim chegarão mais cedo a algum lugar.  Eu também, infelizmente, não escapo desse comportamento curioso, mesmo tendo plena consciência de que a linha de chegada seja o último dos meus objetivos e talvez o maior dos meus medos.

 

POST A COMMENT