34c377e3e6878873475ab839471bd8ae - Minha primeira experiência num HAMMAM Marroquino
Foto: @canalforme

Olá Lolla Readers, hoje vou contar um pouco sobre minha primeira experiência num hamamam marroquino, que foi muito especial e muito que me fez chorar de emoção, literalmente. Se você não sabe o que é, eu já contei aqui no Lolla um pouquinho sobre esse ritual de beleza das mulheres – e homens – no Marrocos, que consiste, em basicamente, remover a pele morta do corpo e promover uma limpeza da pele. E inclusive dei dicas de como fazer seu próprio hammam em casa! Mas voltando ao assunto de hoje, minha experiência… 

Eu estava em Marrakech, hospedada num Riad, que são basicamente casas das antigas grandes famílias no Marrocos – aquelas que você viu no O CLONE com pátios internos – e que foram transformadas em hotéis. Foi ali que decidi me aventurar nesse ritual de beleza que promete uma pela HIPER MACIA, além de ser algo que faz super parte da cultura marroquina.

Bom, eu não nunca tinha feito e não tinha muita noção de como seria, então estava ansiosa. Marquei um horário final da manhã (antes do almoço) e esperei ser chamada no quarto pela moça do hotel. Ela me trouxe um roupão e uma calcinha descartável. Ali já entendi que ficaria quase que inteira pelada.

A moça me levou para uma sala em mármore com uma fonte de água fixada na parede. Dessa fonte saia água quente que transforma a sala em uma sauna. Ela então me pediu para deitar no chão – que é algo bem tradicional e não usual, pegou um balde de água e começou a jogar água em mim.

A pele começou a amolecer e, então com uma luva especial, essa moça começou a esfregar meu corpo, com movimentos bem vigorosos. Calma, parece ruim, mas eu estava gostando da experiência nova. Nesse processo, eu pude ver a quantidade de pele morta saindo do meu corpo e, de novo, ela vinha com um balde para limpar e remover o que já estava solto. Eu não tenho ideia de quanto tempo esse procedimento durou, mas acho que foi uns 30-40 minutos.

Depois da esfoliação mecânica, veio a parte do argila. Meu corpo inteiro foi coberto por uma espécie de de mistura com argila e óleo argan, e, depois de alguns minutos, mais água.

Por fim, essa moça me deu um banho. Nesse momento eu já estava me sentindo  totalmente vulnerável, mas um vulnerável bom, um vulnerável inocente e infantil, como se não existisse mais nada ali, além daquele momento. E aquela moça, que antes esfoliou meu corpo com vigor, estava de repente esfregando meu corpo com sabonete e toda a delicadeza do mundo. Ela pediu para sentar no chão e lavou me cabelo, penteou e finalizou com uma trança. E eu me emocionei.

Você já parou para pensar quando foi a última vez que alguém te deu um banho? Por um momento eu me teletransportei para um lugar distante na memória. O ser criança e ser cuidada, sentir um amor puro e inocente, materno… Me senti de alma lavada e “purificada”.

Já de roupão, ela me levou para uma salinha com uma espreguiçadeira acolchoada, onde pude relaxar pós banho tomando um chazinho. Ah e a pele, baby skin, MAIS MACIA do mundo. Recomendo!

ps: eu nunca fiz nenhuma hammam igual aquele de novo, os de spas de hotel são menos “rústicos”, mas assim valem muito a experiência. 

 

LEIA TAMBÉM: COMO FAZER UM HAMMAM MARROQUINO EM CASA

by Bianca Longo

Editora e colunista de sustentabilidade e internacional (Paris)

0 Comments

POST A COMMENT