Histórias sobre bad dates

bad date lolla sex and city sep 24 1 - Histórias sobre bad dates

Quem não tem um bad date para chamar de seu?

Levanta a mão quem já passou por situações bem inusitadas em um date? Eu e acredito que muitas de vocês também. 

Outro dia em um papo no nosso grupo do Lolla eu comecei a lembrar os mais “exóticos”que tive e comecei a rir compulsivamente! Pode acreditar minha cara, no momento você provavelmente ficará muito irritada de trocar aquela girls night out por “aquela aventura surrealista” mas, com o tempo, a experiência se tornará uma lembrança muito engraçada.

Digamos que a minha vida amorosa não foi daquelas histórias que acompanhamos nos filmes, de a mulher terminar a faculdade, encontrar o príncipe encantado logo depois e serem felizes para sempre. Por aqui, a calmaria só bateu na minha porta aos 35 anos e, preciso confessar, foi muito melhor do que ter chegado nos meus 20 anos. 

Antes de tudo, quero deixar muito claro que aquele grupo de sororidade das amigas é fundamental em qualquer momento da sua vida. As lembranças mais divertidas serão com elas e o colinho que irá dizer que você não merecia aquele boy babaca disfarçado de boy magia também. É um círculo que eu guardo com muito carinho até hoje e com direito, até mesmo, de uns drinks sem os respectivos maridos. Sagrado, ok?

Mas, vamos ao que interessa. Para você constatar que não está só nessa corrida maluca, vou contar dois dates que poderiam ter sido trocados também por uma panela de brigadeiro com TV a cabo (sem denunciar a minha idade, naquela época ainda não tínhamos Netflix).

Noite de quarta-feira (Girls, marcar date nesse dia pode se tornar a maior furada e vocês irão entender o motivo) em um restô mais para romântico aqui no Rio. Tinha tudo para ser muito promissor, até o boy, antes mesmo de termos a possibilidade de pedir qualquer coisa, sugerir trocarmos o local para um bar na esquina em que passaria o jogo do time do coração. (Dica para a vida: noite de quarta-feira com jogo do time do boy nunca!). 

O que fazer nessa situação? Provavelmente, se eu tivesse batido o pé para ficarmos lá, o cara fecharia a cara e, então, ladeira abaixo…. acabamos indo. Resultado: assistimos o jogo, o boy bebeu todas, eu paguei a conta e ainda tive que pedir ajuda para colocar o moço no táxi. Tragicômico, certo? Mas pegou a minha dica? Guarde com carinho.

O segundo foi com o dono de uma seguradora (dependendo da empolgação da pessoa, pode se tornar um verdadeiro Tédio – com T maiúsculo mesmo). Pois bem, a noite parecia ser bem bacana até que eu tive a brilhante ideia de dizer que eu tinha carro (às vezes tem informações que devem ser omitidas para o seu bem!). Pronto. A partir dali o cara rapidamente sacou o celular e passou a me apresentar um cardápio das mais diversas apólices de seguros. Tudo era explicado nos mínimos detalhes e o rapaz não me deixava interromper nem para pedir socorro! Resultado: saí com um vasto conhecimento sobre apólices de seguro de carro e o telefone do moço foi imediatamente bloqueado. 

Acontece, queridas. Nas melhores famílias e até mesmo com a Lady Gaga. O mais importante disso tudo é você levantar a cabeça, aproveitar muito com as suas amigas e, sim, aceitar dates. Na pior das hipóteses você terá histórias divertidas para lembrar com as suas amigas! 

Você tem bad dates? Vamos rir juntas nos comentários. 

Avatar

by Roberta Drable

Comentários

POST A COMMENT