Breakfast at Tiffany’s

breakfast-tiffany-cafe-da-manha-2.jpg

A primeira vez que vi Bonequinha de Luxo (Breakfast at Tiffany’s, 1961) eu deveria ter uns 13 anos… Nunca esqueço: vi com minha avó, numa tarde qualquer, lá em casa. Impossível não se encantar por uma personagem como Holly e também com a própria joalheria que serve de pano de fundo pra história, desde então Tiffany ganhou um espaço especial no meu imaginário, assim como no imaginário de várias outras meninas. 

Apesar de já ter ido a Nova York, eu nunca tinha entrado na famosa loja da 5a. Avenida, embora conhecesse outras unidades. O máximo que eu conhecia do interior dessa loja era pelo próprio filme e também pelo mais recente “Sweet Home Alabama”, com a cena do pedido de casamento surpresa dentro da loja (um dos meus preferidos da vida). A Tiffany sempre manteve uma reputação de preservar seu ambiente, inclusive não permitiu que “Sex and the City” gravasse a cena da compra do anel de Charlotte na loja, apenas uma vista feita do interior da vitrine. Isso tudo só contribu ainda mais para a minha curiosidade a respeito daquele lugar tão amado por Holly. (Aliás, vocês sabiam que o papel havia sido escrito para Marilyn Monroe?)

Well, when I get it the only thing that does any good is to jump in a cab and go to Tiffany’s. Calms me down right away. The quietness and the proud look of it; nothing very bad could happen to you there. If I could find a real-life place that’d make me feel like Tiffany’s, then – then I’d buy some furniture and give the cat a name! (Holly Golightly)

breakfast-tiffany-cafe-da-manha-1.jpg

Em 2017, estava de passagem por Nova York com minha mãe, e como estávamos num fuso horário muito diferente, saímos da cama logo cedo, por volta das seis da manhã, e fomos tomar café perto do hotel, que se não me engano era próximo à Park Avenue. Quando nos demos conta, estávamos na frente da Tiffany, eu de vestido preto com meu copo de café na mão. Óbvio que me senti Holly naquele momento. Posso dizer que tive a chance de tomar café olhando a vitrine, assim como no filme. Dias depois de regressar dessa viagem, foi anunciado o lançamento do Blue Box, o café que te permitiria tomar uma experiência gastronômica DENTRO da joalheria. Meu coração parou com a notícia. Fui marcada na publicação por 27 pessoas diferentes. Quando soube que me mudaria para Cambrige em 2018, a primeira coisa que coloquei na minha listinha foi: “Tomar café no Blue Box”. Marquei e remarquei algumas vezes, até que consegui ir no dia 22 de fevereiro de 2019. 

A reserva é feita pelo site Resy, e elas abrem pontualmente às 9 da manhã (Horário de Nova York), 30 dias antes da data desejada. Lembro que para o Valentine’s day as reservas se esgotaram em menos de 2 minutos!!! Embora seja possível colocar um alerta, caso alguém desista, eu não aconselho confiar neste recurso, especialmente dependendo da época.. já recebi 6 alertas em um dia e nenhum em outro, o melhor é se planejar com antecedência para ir no dia desejado. 

À época do lançamento, li um artigo que comentava que o café não tinha se inspirado no romance de Truman Capote. A Tiffany buscava se aproximar dos Millennials, e isso seria feito por meio da experiência, por isso a proposta de um café super “instagramável” dentro da loja. No meu caso, a experiência começou assim que eu adentrei aquelas portas enormes. Cada detalhe me fazia sentir o que Holly havia descrito. Ao chegar no Blue Box fui pega de surpresa: por estar sozinha, me ofereceram a melhor mesa, aquela com vista para o Central Park! Fiquei observando e percebi que os garçons eram treinados para tirar fotos, havia um roteiro que eles seguiam e cada um tirava uma foto de cada lado da mesa, tudo para te proporcionar a recordação perfeita! 

breakfast-tiffany-cafe-da-manha-1.jpg

Tudo é encantador nos mínimos detalhes: cada canapé, cada docinho.. do feitio à escolha dos chás. Se não me engano, o que escolhi era um blend de chá branco chinês chamado White Wedding. As três refeições (café da manhã, almoço ou chá da tarde) podem ser escolhidas durante todo o dia independente do horário da sua reserva, além de vários outros itens – o cardápio pode ser visualizado aqui. Apesar do cardápio do café da manhã ter me encantado, escolhi o chá da tarde e não me arrependo. Um amigo, quando soube da minha reserva, me disse que sempre devemos pedir o chá da tarde quando vamos pela primeira vez em um lugar desse, é como o cartão de visitas do local. As reservas são feitas entre 10am e 5:30pm, segundas a sábados, ou 10am e 4:30pm aos domingos, o menu é prix fixe e a única forma de pagamento aceita são os cartões de débito e crédito. O YELP estima que o valor médio por pessoa seja de US$65 dólares, se eu não me engano gastei uns US$70, já com a tip. 

Se eu voltaria? Com certeza, não perderia por nada. É um momento maravilhoso! 

Helena Vilela

by Helena Vilela

Comentários

POST A COMMENT