Interview: Beatriz Menezes e Paula Bonadia, founders Atine

set 9, 2018

by Maria Ruth Jobim

Oi meninas, em primeiro lugar, parabéns pela marca. É muito legal acompanhar de perto um sonho nascer e sair do papel.

Obrigada! É muito gostoso compartilhar tudo isso com vocês!

Como foi que surgiu a ideia da marca?

Bom, vou contar um pouco da nossa história para vocês entenderem melhor! Nós somos amigas desde a época da escola, quando não tínhamos a menor ideia do que queríamos fazer da vida! Uma seguiu para publicidade e a outra para advocacia, mas em pouco tempo as duas já perceberam que não era bem isso que queríamos fazer. Fui fazer design de moda e a Paula foi para design gráfico. Nessa época, tivemos um blog de moda juntas, mas desistimos em pouco tempo pois ainda não estávamos prontas para largar nossos trabalhos. Alguns anos depois, depois de termos trabalhado nas nossas novas áreas de atuação, decidimos largar tudo, cada uma em seu momento, e começamos a pensar o que iriamos fazer. No começo cada uma tinha uma ideia diferente, ficávamos juntas apenas para compartilhar as coisas e nos ajudarmos nesse novo mundo do empreendedorismo. Em pouco tempo nossas ideias se cruzaram e vimos que juntas poderíamos fazer uma marca ainda mais incrível. A ideia da marca mudou muito desde o começo! Todo o processo de criação do lifestyle da marca, bem como da concretização da empresa durou mais de um ano! Sabíamos que queríamos fazer uma coisa diferente do que já é feito, fugir do comum e trazer para São Paulo um lifestyle mais descolado e colorido. 

Eu acompanhei um pouco o processo de vocês ao longo do último ano. E, nós sabemos como é difícil empreender no Brasil. Qual foi o estalo que fez vocês quererem tirar a marca do papel?

Empreender no Brasil é um desafio imenso! Acho que esse foi o ponto principal para termos demorado tanto para ter coragem de tirar a marca do papel. A vontade de sermos donas do próprio negócio sempre existiu em nós. Assim como muitas pessoas da nossa geração, somos muito menos conformadas e temos uma vontade enorme de fazer as coisas da forma que acreditamos, de termos o nosso tempo de criação e de moldarmos nossa rotina da forma mais agradável e prazerosa. Quando começamos a pensar na Atine, não tínhamos a menor ideia do quão desafiador seria. Eu fui me aprofundar mais em gestão de varejo em uma pós graduação (onde nos conhecemos!) para me dar mais segurança e entendimento do processo. Quando tudo da nossa marca estava redondo, tivemos aquele momento de paralização antes de nos jogarmos! Depois de muita conversa e de medos superados, mergulhamos com tudo e tiramos todas as nossas ideias do papel.

Como tem sido o processo?

Ser dona do próprio negócio é um desafio diário! Um dia é completamente diferente do outro e novas ideias vão surgindo o tempo todo. Depois que lançamos a marca, em Abril, entramos em um processo de crescimento da Atine que é muito desafiador e gratificante ao mesmo tempo. Como somos apenas em duas, tudo depende da gente e cada mini conquista é uma super conquista! Estamos aos poucos caminhando em direção da onde queremos chegar e estamos sempre com a cabeça aberta para novas oportunidades que podem surgir. O importante é não parar e aceitar o grande momento de mudanças que estamos passando! Acabamos de concretizar mais um sonho, que é nosso primeiro escritório, e com certeza com essa motivação marca só tende a crescer mais! 

Vocês criaram uma marca muito brasileira, mas saindo do lugar-comum. Vocês mostram um brasileiro da “bossa paulistana”. Conta mais sobre o que seria isso.

Nossa principal inspiração é São Paulo. Não só nessa primeira coleção, mas São Paulo como inspiração para o conceito da marca. A cidade nos inspira em todo lugar, desde nas artes até nas feiras da rua. São Paulo não é boring, é cool e cosmopolita. Gente e culturas de todas as partes. Criamos essa coleção acreditando que a mulher paulistana pode colorir São Paulo. E claro, não só aqui, ela pode colorir o lugar onde estiver com estilo puramente artsy e a cima de tudo, divertido. Nossas roupas foram criadas para deixar a cidade mais colorida e para interagir com a sua paisagem, nas ruas, museus, botecos e restaurantes. Nossas peças têm nome de mulheres importantes para a história de São Paulo, bem como Débora e Regina, nossas mães, paulistanas dos nossos corações! Como o clima paulistano, nossa coleção não pertence a nenhuma estação específica. Você pode morrer de calor em pleno inverno e passar um friozinho em pleno verão. Foi pensando nessa brasilidade que o conceito da marca surgiu, pensando na mulher cosmopolita paulistana que é cool e divertida em todo lugar!

Qual foi a maior dificuldade até então?

Tudo é muito novo e cada pedacinho da marca tem uma nova descoberta e uma mega dedicação envolvida. Como somos duas mentes criativas juntas, a maior dificuldade com certeza é cuidar das questões burocráticas que são muitas e tomam um tempo enorme! Um desafio é lidar com tudo isso sem desanimar e sem deixar que isso nos desvie das nossas ideias e criações.

Já ouvimos muito aquela história de escolher um sócio é um casamento. Como foi a escolha da sociedade? Amizade e trabalho, alguma dica para manter as relações intactas?

Acho que essa sociedade já estava escolhida a muito tempo, mas naturalmente ela aconteceu! Com certeza escolher um sócio é um ponto super importante, a gente até brinca que somos casadas no papel e com conta conjunta! Como qualquer relação, uma sociedade é um desafio diário e uma grande aprendizagem. Passamos muito tempo juntas e nem sempre estamos no mesmo mood. Temos que saber respeitar o espaço do outro e aprender a conversar sobre tudo para que as coisas estejam sempre claras e alinhadas. Ser sincera e saber ouvir são dois pontos muito importantes para uma sociedade. Como somos muito amigas e estamos sempre juntas, conseguimos desligar a chavinha do trabalho e passar um final de semanas juntas sem pensar em nada!

Vocês ainda são novas no mercado e estão conquistando seu espaço. Tem alguma dica que queriam deixar para quem também está no inicio?

Acho que a principal dica que podemos dar é: acreditem que vocês são capazes. Muitas vezes estamos desanimadas ou desacreditadas com alguma coisa e de repente toca o telefone com uma notícia mega boa e a gente percebe que aquilo só está acontecendo por que nós corremos muito atrás. Foi nosso trabalho que fez isso acontecer e muitas vezes a gente se esquece de reconhecer isso. Não podemos desanimar com toda essa incerteza do momento que estamos vivendo e temos que acreditar que tem espaço para todo mundo e que existem pessoas incríveis que aparecem no nosso caminho para colaborar com esse processo.

O que podemos aguardar para a próxima coleção?

Como nossa primeira coleção trouxe muito o conceito da nossa marca, as próximas coleções terão essa mesma identidade, sempre com muitas cores e shapes inovadores. Elas irão sempre trazer a bossa paulistana na essência, mas com algum tema que esteja muito forte para a gente naquele momento. Para a próxima coleção iremos apostar nos tecidos que já trabalhamos e trazer um pouco mais de tecidos fluidos para as peças de alto verão. Vamos trabalhar com coleções pockets para trazer sempre novidades, respeitando nosso processo criativo sem precisar correr atrás do calendário frenético do mercado de moda.

Follow @atine_ | Shop atine.com.br

YOU MIGHT LIKE

Share it

victor

by victor

Read the ’s posts

Comentários