Book review: Meu Ano de Descanso e Relaxamento

out 10, 2019

Foto: Natália Albertoni

Há algum tempo eu não lia um livro que me tirava tanto o fôlego como “Meu Ano de Descanso e Relaxamento”, da americana Ottessa Moshfegh. Só que ao contrário do título, os sentimentos que me vieram à tona durante a leitura foram de angústia e inquietação.  

A história é narrada em primeira pessoa por uma mulher jovem aparentemente sortuda: é linda, rica, interessante e tem um trabalho legal. No entanto, ao mesmo tempo em que ela “tem tudo”, sente que não tem nada. Experimenta um vazio profundo e demonstra certo desapego a qualquer relacionamento com outro ser humano. No ano 2000, com a perda dos pais, morando em um apartamento em Nova York, resolve fazer um experimento e hibernar por um longo período. Seu plano é simples e literal. Com a ajuda de remédios, pretende dormir por 365 dias.

É uma história interessante e pouco óbvia, que me fez pensar sobre como cada um de nós encara uma leitura tão distinta como essa. Quando a comecei, meu marido me perguntou sobre o que era. Ouvindo minha descrição, ele torceu o nariz e comentou algo do tipo: “Que enredo baixo astral!”. Ao terminar, minha conclusão foi super positiva, tive até aquela sensação de tristeza de quando você acaba um livro e se sente meio perdida. Achei fresh, inteligente e provocador. 

Dias depois, em um almoço, uma amiga o descreveu como pesado demais, algo que não tinha passado pela minha cabeça. Em um post no Instagram, vi que outro amigo também tinha engatado a leitura, e fiquei animada em perguntá-lo sobre a sua opinião. Ele me disse que ficou com ódio da narradora, coisa que eu também não tinha sentido. Na verdade, por mais que ela fosse uma pessoa com leves traços de psicopatia (rs), eu gostei de seu estilo, sua indiferença e da honestidade em relação ao mundo. Por fim, nos comentários de outra amiga que sigo no Insta, ela o descrevia como uma leitura leve. 

Essa não é a primeira vez que penso sobre como a fase em que estamos na vida ou o nosso estado de espírito interfere ao consumirmos uma história. Muita gente fala sobre a série “This Is Us”, por exemplo, que é triste demais. Realmente, a primeira vez que a assisti, não fui em frente. Estava um pouco deprê e preferi guardar para mais tarde. E foi o que aconteceu: alguns anos depois, assisto, adoro, choro e aguardo ansiosamente pelo próximo episódio. “Meu Ano de Descanso e Relaxamento” é tão intenso que pode desencadear diferentes tipos de sentimentos – talvez, um tanto sombrios. Como disse, pra mim não foi assim. Estou numa fase tão diferente da personagem que sua escuridão não me afetou. 

Ah, no site da editora brasileira do livro, a Todavia, ele é descrito como um romance hilário. Mas confesso que não dei nenhuma risada durante toda a leitura.

Share it

Avatar

by Kanucha Barbosa

Comentários