5 Lugares no mundo que ainda vou conhecer

faroe island - 5 Lugares no mundo que ainda vou conhecer

Lembro de duas épocas em que minha vida foi marcada por desejos expressivos de conhecer um lugar: quando minha mãe me leu Pocahontas e eu comecei a desejar incessantemente ir à Inglaterra, e quando eu li “A irmandade das calças viajantes” e desejei conhecer Santorini e sua caldeira vulcânica. Meu interesse por viagens, na maioria das vezes, vem de uma experiência literária. O mundo é tão grande e plural, eu gostaria de conhecer todos os cantinhos dele se possível, por isso, se alguém me perguntasse qual seria meu emprego dos sonhos, eu diria: viajar e escrever sobre todas as experiências possíveis que o destino me apresentar.

Quando eu viajo não tenho o hábito de colocar fotos no Instagram, pelo contrário, eu mal apareço no aplicativo, quando o faço é para colocar uma foto com algum detalhe ou história que aconteceu e me comoveu. Não sou daquelas pessoas que chegam com dicas específicas como: “você compra esse ticket que dá acesso à 24h de uso do troley…” – acho que preciso melhorar nesse quesito, especialmente porque minha listinha atual inclui destinos diferentes dos que estou habituada, mas acredito também que essas dicas viriam com o planejamento dessas viagens. Resolvi então compartilhar com vocês alguns desses destinos que tem me feito novamente sonhar e ansiar viajar mais e mais. Confesso que dentre os 5 que escolhi me impressiona o fato de ter muitas ilhas. Eu sou aquela pessoa que não gosta de praia porque não costumo entrar no mar, mas adoro a serenidade de um bom rosé com vista pro mar. E frio na praia, tem algo melhor? Aquele ventinho gelado com casaco fofo… Amo!

Tibet

O território budista é tão especial que inclusive foi seu nome que escolhi para meu cachorro. Meu interesse pelo Tibet começou quando eu estava no ensino médio e li o livro “Ensinamentos Sobre O Amor” (2005)  de Thich Nhat Hanh, a partir dessa leitura comecei a pesquisar mais sobre o local e me deparei com os palácios incríveis, a paisagem que meus olhos mal acreditam que seja possível existir e depoimentos maravilhosos de pessoas que já foram. Ah, Tibet… Meu cachorro é um Lhasa Apso, raça proveniente da região, mas eu escolhi o nome antes de saber que eu teria um lhasa … Coincidências? Não acredito.

Naoshima, Japão

Na faculdade, durante a disciplina “Teoria da Arquitetura” (2012), fiz um trabalho sobre Percepção em Arquitetura, no qual estudei dentre outras obras, alguns templos de Tadao Ando, arquiteto japonês cujo trabalho me fascina ao extremo. Desde essa época desenvolvi um encanto pelo Japão, especialmente pela arquitetura desenvolvida no país. Naoshima seria o equivalente ao “Inhotim japonês”, uma ilha devotada à arte contemporânea com seus museus e diversas obras espalhadas. A ilha dista 500km de Tóquio e 170km de Kyoto. Acredito que quando eu for ao Japão, terei que planejar uma viagem longa e na época correta para conseguir ter pelo menos uma pequena amostra de tudo que espero conhecer no país (ou fazer mais de uma viagem).

Uluwatu – Bali, Indonésia

Localizado na península de Bali na Indonésia, este é um destino que chegou até mim por meio do Instagram. Bali já havia entrado na minha listinha por conta de “Comer Rezar Amar”, era o único dos 3 destinos mencionados no livro que eu não conhecia quando o li. Então, recentemente, enquanto rolava o feed vi as postagens de um amigo que viajou até lá e fiquei simplesmente encantada. Iria aproveitar para andar de bicicleta por Ubud – amo andar de bicicleta mas infelizmente é uma experiência que ficou reduzida à viagens – e conhecer os terraços de arroz, de preferência ouvindo Samba da Benção ao fundo.

Seychelles

Fiquei muito em dúvida entre falar sobre Seychelles ou Nova Caledônia. O número de turistas brasileiros que frequenta o arquipélago, localizado ao norte de Madagascar, ainda é reduzido e bem inferior a outros destinos também considerados como locais para lua de mel, e apesar de eu ainda não ter esse tipo de viagem em vista, confesso que Seychelles já figura na minha lista. A impressão que tenho é que é o tipo de lugar capaz de renovar as energias para um setênio.

Faroe Islands, Dinamarca

Outro arquipélago presente na listinha é o de Faroe Islands, um território dependente da Dinamarca. A cultura Nórdica me encanta muito e, segundo o que li quando pesquisei sobre o destino, o isolamento da ilha ajudou na preservação da cultura local. Já li também que é possível até ver a aurora boreal no céu de Tórshavn, sua capital. A paisagem, as trilhas, as ovelhas, as casinhas coloridas, os telhados cobertos de grama… Me encantei com o conjunto pois ele me lembra contos antigos, daqueles com ilustrações que parecem obras de arte, cheias de detalhes…

Shop The Edit

Helena Vilela

by Helena Vilela

POST A COMMENT